Cinza


Poemas querem sair de mim.

Estão trancados, solitários.

Poeta, por que choras?

A poesia está em cada gota de chuva,

O céu está cinza, nublado

E eu estou muda.

A gota de água está molhando meus olhos.

Poemas se libertam

Solitários.

Poeta, me ajudas?

Eu sou um poema

Que o poeta não terminou.

Estou explodindo em versos,

Meus olhos afogam o papel

Tão cheios de água.

Será mesmo que

Meus poemas definem quem sou?

Poemas solitários, eu sou a solidão?

Azul, ainda te vejo

Borboletas azuis me enchem de paz

Sem poesia, sem mim.

Meus olhos ardem

Poemas, sem vida.

Cinza igual o céu que chora.

Grito da alma

Quero fugir de mim,

Que ironia eu aqui de novo.

Saudade

De pessoas que amo

no céu e no inferno.

Raiva de mim para mim

Minha vez de entrar

Não estou com medo.

Estou sorrindo

Que falsidade a minha.

Que poema é este?

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Logo-Revista-02.png