30 Oct 2019

Please reload

Posts Recentes

5 Filmes Inspirados em Livros

9 Nov 2017

1/4
Please reload

Posts Em Destaque

Leão em pele de cordeiro

 

 

A confissão da Leoa não é um livro muito conhecido aqui no Brasil, foi escrito por Antônio Emílio Leite Couto, Mia Couto, e lançado no Brasil em 2012. Sua inspiração veio da vivência que teve como biólogo, que ele cita no início do livro, onde vários ataques de leões estavam sendo fatais. 

 

O livro possui dois narradores e se passa em Kulumani, uma aldeia de Moçambique, onde Mariamar morava normalmente (ou não) com sua família, até que misteriosos leões passaram a atacar.  A garota perde três irmãs, e é no assassinato da mais velha que a história se inicia. O segundo narrador é o caçador Arcanjo Baleiro, que dezesseis anos antes salvara a protagonista de um estupro, agora retorna à vila para tentar acabar com o problema com os leões. 

 

A religião é muito forte lá, junto dos mitos e crenças. Um que se destaca é que um papel muito importante das mulheres seria formar o céu, pois sempre que engravidam uma porção de céu é acrescentada. A primeira frase do livro “Deus já foi mulher”, deixa isso bem claro.

 

Outra vertente é o patriarcalismo, onde as mulheres não tem opinião, nem lugar, são propriedade do pai ou do marido, não podendo aparecer desacompanhada nos lugares. Uma hora a mãe dela até diz que ‘preferir’ não foi feito para ela, quem não pode querer, não pode preferir. Isso também se reflete na família do caçador, onde seu pai costurava as partes íntimas de sua mãe, para que ela não o traísse. A mãe acaba morrendo de infecção e o irmão mais velho, ao culpar o pai, o assassina e vai parar em um hospício.

 

No desenvolvimento da narrativa, vemos Mariamar suspirar de amores por Arcanjo, que se sente atraído pela esposa do irmão. A história gira em torno da falsidade dos homens, como ativamos nosso instinto animal e agimos como tal, passamos por cima dos nossos semelhantes para nos darmos bem, fala do egoísmo, do perigo e do prazer. Em oposição, não há como saber o que é real, quem é real, o que é imaginação, Mia Couto joga com a nossa mente.

 

Aparentemente bagunçado, é um livro com várias críticas profundas, que te levam a refletir sobre si mesmo e sobre as relações que mantém com o mundo. Convido à todos a leitura e a releitura desta obra admirável.

 

PS Temos boas notícias! Em abril deste ano, a Nigéria proibiu a mutilação genital feminina. A luta pelo direito das mulheres ainda é grande e há um longo caminho a percorrer, pois não é uma luta contra costumes tradicionais, e sim contra esse ato machista, misógino e execrável, que acaba com a vida de milhares de mulheres inocentes.

Please reload

Please reload

Arquivo
Logo-Revista-02.png